13 de dez de 2012

Contestação e Merchandising.

Bom, pessoal, este aqui é outro post no blog, e este, ao contrário dos mais recentes,  será menos longo, porque não precisarei de muitas palavras para falar sobre o que quero falar hoje.

Primeiro, a contestação. Ontem, vi esta imagem do Danilo Gentili sobre algo que ele próprio tinha falado no Agora é Tarde, da BAND: http://www.facebook.com/photo.php?fbid=397203447022882&set=a.254705481272680.59148.137547819655114&type=1&theater

Ao ver esta imagem, e ao ver a natureza dos comentários de muitos "docentes" doutores em Economia e Contabilidade por EAF (Educação à Facebook), decidi esclarecer alguns pontos que falaram ali.

Primeiro, o povo, quando paga impostos, ao contrário do que o grande humorista Danilo disse, não está sendo feito de idiota, pois pagar impostos é comum em qualquer lugar do mundo. Não existe comunidade anárquica ou independente totalmente isenta de impostos no nosso modelo civilizacional. Para colocar no mesmo plano de ideias, nós falarmos que somos idiotas por pagar impostos seria o mesmo que um indígena falar que a sua tribo é formada por um bando de tolos que só ficam dividindo tudo com todos. Entendem o que quero dizer? Isso acaba sendo uma espécie de autofobia, o que vai sendo prejudicial para a sociedade ao longo dos anos.

Por esse mesmo motivo, imposto não é roubo, pois, além de ser uma prática estatal lícita, é dele que dependem os serviços de saúde, educação, segurança e outros tantos serviços ESTATAIS. Não creio, porém, que alguém vai querer, em sã consciência, tirar esse serviço de todos.

Também há a questão da boa gestão de recursos. Quanto a esse ponto, vou reproduzir aqui um trecho meu, presente no post Dois Debates e Uma Conversa, sobre o mesmo assunto: "[...]o nosso povo, em sua imensa maioria, paga, mas não fiscaliza seus parlamentares nem cobra deles a boa gestão dos recursos nacionais. Ou seja, culpar os impostos pela situação brasileira é fechar os olhos à nossa própria falta de cidadania."

Quanto à contestação, acho que já disse o suficiente. Caso alguém queira ver um pouquinho mais, aconselho o post que linkei acima. Está na hora, então, do Merchandising. Como vocês sabem, não sou um blogueiro que faz (ou completa) muitas séries. Tentei fazer uma série sobre a hipocrisia ambientalista, mas acabei perdendo o foco e só produzi o post Hipocrisias Ambientais Parte 1. Ainda produzi alguns posts com a mesma crítica, mas acabei esquecendo da ideia que tive, então ficamos por isso mesmo (rs).

Também ia fazer uma com sátira religiosa, mas, quando pensei que me dedicaria mais a ela, acabei mudando de opinião, o que me fez esquecer esse projeto. No fim, ficou apenas o semi-machadiano post Inutilia Truncat, do qual, mesmo tendo mudado de opinião, não me arrependo, por ser mais um post de humor do que um post sério.

Antes disso, porém, consegui engatar uma série de 3 posts de Retrospectiva do ano passado*, e essa série fez relativo sucesso com os leitores, que deram, em sua maioria, respostas muitíssimo positivas e que até pediram outra série.

Com tudo isso em mente, e também tendo em mente o fato de eu não ter abordado esse assunto mais demorada e detalhadamente (e por alguns leitores terem pedido também, rs), decidi fazer uma série sobre o assunto Religião. Todos vocês sabem meu posicionamento religioso, no caso, ateu agnóstico. Não vou, no entanto, fazer propaganda ateia, não vou explicar porque me tornei ateu (posso até cair nisso em um ou dois posts, mas não é o foco), não vou tentar fazer caveira de religiosos, nada disso. Esses posts são apenas o meu ponto de vista sobre esses assuntos, a não ser por um ou dois em que eu talvez fale com base em um aparato teórico-crítico, mas isso vocês vão perceber de cara (ou não, rs). Portanto, por favor, se tiverem qualquer discordância, tomem a liberdade de me contestar, afinal, este espaço é de vocês. São apenas minhas reflexões, o que significa que é possível que hajam erros/incoerências teológicas, filosóficas, sociológicas, ou outras.

Sem mais delongas, o nome da série, por enquanto, é "De frente com o Ateu"** (inspirado no programa "De frente com Gabi", do SBT), e eu falarei sobre os seguintes temas:

1- Ateísmo (X Teísmo X Antiteísmo)
2- Agnosticismo
3- Laicização e Secularização
 3.1- ADENDO "Surpresa"
4- Laicismo e Laicidade
5- Religião e Caráter
6- Post Final: Resumo da Série e links para os posts.

Logicamente, esta série está sujeita a alterações, mas quem deve fazê-las são vocês, dignos leitores. O único tema sobre o qual ainda não vou falar é o Neo-Ateísmo, tanto por ainda ter um pouco de raízes neo-ateias quanto por querer esperar até que haja um número razoável de estudos em língua nacional (ou pelo menos bem traduzidos) sobre isso. Repito, porém, que não é minha intenção fazer propaganda ou militância ateia com isso, e creio que vocês vão entender também logo de cara o porquê de eu dizer isso. Também aviso que não há uma data certa para o fim dessa série, pois não tenho sequer datas certas para postar, rs. Além disso, como não vou deixar de falar sobre outros assuntos, vou sempre colocar entre parenteses, nos títulos, o nome da série, para que lembrem deste post

Enfim, o post acabou ficando um pouco mais longo do que eu esperava, mas disse o suficiente nele. Obrigado pela paciência, esperem pela série (e por outros posts de outros temas também), e até a próxima oportunidade.

* Links para as postagens do fim do ano passado:

Parte 1
Parte 2
Parte 3

** Por favor, gente, se tiverem algum nome melhor para a série, também tomem a liberdade de dizê-lo, rsrsrsrsrsrs

ADENDO (ao post): Temas sugeridos

Religião e Sociedade

Nenhum comentário:

Postar um comentário