31 de mar de 2011

O Post das Explicações

Bom, caros blogueiros, esse post será usado para explicações sobre o blog em geral. Todas as perguntas que me fizeram sobre o blog na vida real serão respondidas. Quaisquer outras questões, por favor, coloquem nos comentários e responderei. Todos os meses terminados no dia 31 terão o mesmo usado para um post mais ‘relax’ ou para responder as dúvidas IRL.
Enfim...
Questão- adtantumargumentandum. blogspot.com... Cara, por que você não colocou uma URL mais fácil no seu blog?
Resposta- A intenção dessa URL era de colocar claramente o objetivo do blog aos leitores. Meu objetivo aqui não é necessariamente o das risadas, e sim o da crítica e da argumentação, especialmente construtiva. Claro, se você pesquisou um pouco, leitor, viu que a expressão latina que usei na URL está invertida. Mesmo assim, o propósito ainda se mantém, não menos digno de respeito
Q- Beleza, mas, e se eu esquecer ou errar a digitação da URL do seu blog?
R- Então entre em um site de busca (Google, Cadê, Bing) e coloque “O Homem e a Crítica” e uma das teses em seguida:
Tese sobre o Bullying
Tese sobre o Aborto
A Ética e O Indivíduo
Hipocrisias Ambientais Parte 1
Telenovelas (Ganhador da Enquete)
Q- Mas isso dá muito trabalho...
R- Acredite, compensa. Sem falsa modéstia, estou me esforçando ao máximo para trazer a vocês teses e textos bons.
Q- Você só vai postar textos seus, cabeça?
R- De forma alguma. Caso um amigo da vida real tenha um bom material para postagens, é só me passar que postarei com muito prazer, dando o merecido crédito à pessoa.
Q- Eu percebi que você só posta em dias com terminação 1 ( 1, 11, 21, 31). Por quê?
R- Posto assim por querer ser o número Um.
Zuando, kkkkk
Q- Você só vai postar o estilo dissertação de textos?
R- Não. Alguns temas com os quais me deparei são difíceis para serem usados em dissertação. Postarei Crônicas, Artigos de Opinião, Narrações e até mesmo posts normais de blogs quando não conseguir dissertar
Bom, essas são algumas das dúvidas. Quaisquer outras é só comentar perguntando

21 de mar de 2011

Telenovelas ( Ganhador da Enquete)

Bom, pessoal, essa vem a ser minha tese sobre o tema de Redação do Vestibular UNIFESP, ano 2010. A Frase é: "A Telenovela Brasileira: Conscientização ou Alienação?". Desejo-lhes uma agradabilíssima leitura

Telenovelas aculturadas, pessoas alienadas

As telenovelas brasileiras (peças teatrais ou literárias exibidas em capítulos através da televisão) são focos de uma dúvida pertinente em estudiosos e na população: Trazem elas uma maior conscientização sobre os problemas raciais, culturais, sociais e éticos do país ou servem apenas para alienar o povo em relação a outros problemas, sendo estes principalmente de ordem política e educacional?
Apesar do bom conteúdo de algumas telenovelas, a maioria delas vale-se de cenas quase pornográficas para angariar audiência, enfocando pifiamente em questionamentos críticos e politicamente úteis e limitando seu questionamento fundamental a uma visão unilateral sobre temas importantes como o Aborto, agradando assim aos moralistas religiosos e aos interesses poderosos de algumas instituições e até mesmo de partidos políticos.
Outro fator a ser levado em consideração é a tentativa digna de escárnio de fazer com que a população identifique-se com as personagens das novelas e aja tal qual a maioria destas, adotando um modo de vida demagógico, politicamente inativo, cultural e educacionalmente pobre, fútil, consumista, familiarmente perturbado (os notórios “barracos”) e moralmente questionável.
Sintetizando, as telenovelas são instrumentos usados para a alienação de massas, transformando as mesmas em um gigante rebanho culturalmente alienado, socialmente indecoroso e politicamente manipulável.  A busca por verdadeira cultura e erudição e a procura da criação de novos valores individuais independentes fazem-se a solução para o problema da alienação por telenovelas


11 de mar de 2011

Hipocrisias ambientais Parte 1

Bom, caros blogueiros, este é meu 4º Post. Digo-lhes humildemente que a crítica não ficou tão boa, mas ainda assim gostaria de ouvir vossos pensamentos ( mesmo assim, sem trolling, plz). O tema é advindo do Banco de Redações UOL.
TEMA: O Brasil e o conflito: Defesa do Meio Ambiente X Desenvolvimento Econômico. Dez/10
Preservação para Estadunidense Ver, mas Não Fazer

   Os últimos anos vêm sendo marcados por intensos debates e discussões mundiais sobre a preservação ambiental no planeta e também sobre o notório aquecimento global. Além de tais debates, há conferências (como a ECO-92, sediada no Rio de Janeiro em 1992) e protocolos, como o Protocolo de Kyoto, ratificado, na época, por 39 nações, e que previa a limitação da emissão de gases tóxicos no período de 2008 a 2012.

   Porém, houve uma nação em especial que se recusou a assinar tal protocolo: os Estados Unidos da América. E então, faz-se necessário questionar a razão pela qual as nações, principalmente aquelas em processo de desenvolvimento econômico, não devem usar o argumento estadunidense de que tal compromisso acarretaria em interferências em suas economias e, ao invés disso, buscar a preservação ambiental, sendo que aqueles que mais deveriam ter interesse em tal preservação não o tem (levando em consideração que os EUA não sairiam ilesos de uma eventual crise ambiental).
  Outro fator que pode ser usado como argumento pró-desenvolvimentismo é a filosofia capitalista em si. O Capitalismo, sistema econômico usado por quase todas as nações do planeta, prevê em sua filosofia que o desenvolvimento econômico não deve ser restrito, seja pelo plano social, seja pelo plano ambiental. Além disso, os países mais desenvolvidos seguiram e continuam seguindo tal filosofia fielmente. Então, por que outras nações não devem seguir a filosofia capitalista e ao invés disso limitar seu desenvolvimento para preservar o meio ambiente?
 Logo, o Brasil deve focar-se em seu desenvolvimento econômico, para manter a coerência com o sistema capitalista, além do fato que o notório desenvolvimento sustentável nada trará ao país e à população em curto ou médio prazo, tempo que, segundo alguns defensores de tal desenvolvimento, a espécie humana e até mesmo o planeta não tem

1 de mar de 2011

A Ética e o Indivíduo

Caros blogueiros, dessa vez venho a redigir uma proposta de redação feita pelo ENEM em 2009.
TEMA: "O indivíduo frente à Ética Nacional"
Desejo-lhes uma leitura agradável, e, se possível, comentem, também trazendo temas de vosso interesse. O objetivo é debater e alertar, não criticar indivíduos

O Júri Popular

O Brasil, uma das 10 maiores economias do mundo, é também um dos países mais desiguais e corruptos do planeta. Apesar dos bons programas assistencialistas estatais (Bolsa-Família, entre outros), a desigualdade social pouco diminui. Além disso, há a desigualdade regional, em que a região mais pobre do Brasil, o Nordeste, tem PIBs e IDHs estaduais muito aquém daqueles estados das regiões Sul e Sudeste, por exemplo. Tais desigualdades atrapalham o desenvolvimento social e econômico nacional.
Existem várias razões para essas desigualdades, entre elas administrações ineficientes e péssima distribuição e divisão das verbas federais entre estados. Porém, a maior dessas razões tirou a esperança do povo brasileiro que, ao invés de assumir seu papel de júri popular para condenar os políticos ineficientes, apassivou-se ao ponto de muitas vezes tornar-se a vítima ou até mesmo o réu condenado pelas decisões e pela ineficiência dos políticos atuais.
Essa razão, amplamente conhecida no mundo, é a corrupção. Os notórios escândalos políticos, como o Mensalão (2005), e outros vêm diminuindo cada vez mais a esperança do povo brasileiro em mudanças políticas, e, aliado a uma mentalidade de um povo acostumado a ser liderado, aumenta o conformismo do indivíduo frente à decadente, falha e corrompida ética nacional.
Assim sendo, por causa dos crescentes casos de corrupção na esfera política, o indivíduo, além de perder as esperanças frente à ética nacional, tornou-se conformista. Para mudar esse panorama, faz-se necessária uma ampla Reforma Penal e Política, não absolvendo os corruptos e inserindo, durante as campanhas eleitorais, verdadeiras propostas políticas, valorizando qualidade política em detrimento de quantidade de políticos